segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Lugar algum

Claude Monet
Não há
lugar algum
aqui
nem alhures.

Aqui não existe.
Alhures não é.
Nós não temos nada a buscar.

Esperar é vão.
Preciso é habitar o tempo
multíplice,
ser o seu símil.

Com ele como ele
sem ter parada
eu passo
dizendo adeus
dia após dia
às figuras
que a noite
vertiginosa
carrega.

Jean Tardieu (1903-1995)
Tradução: Mário Laranjeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário