domingo, 19 de julho de 2015

Céu claro

J. Fernando
Depois de tanta
névoa
uma
a uma
se desvelam
as estrelas

Respiro
o frescor
que me deixa
a cor do céu

Me reconheço
imagem
passageira

Presa de um ciclo
imortal.

Giuseppe Ungaretti (1888-1970)
Tradução: Geraldo Holanda Cavalcanti